Uma viagem pelos biomas da Rússia

A Copa do Mundo 2018 começou e grandes façanhas do futebol  já estão sendo feitas. Que tal, entre um jogo e outro, fazermos um passeio fantástico pelos biomas do país-sede da competição, a Rússia? Suba nesse trem, aperte os cintos e boa viagem!

 

E o que é uma bioma?

Antes de mais nada, vamos entender o que é um bioma. Podemos definir essa região como uma localidade onde existe uma vegetação típica, específica de certo lugar do planeta com condições climáticas, edáficas (do solo) e hidrológicas específicas. É o caso das florestas tropicais, das formações savânicas e dos desertos. Adaptados a essas condições, vivem também animais e outros seres vivos que formam uma delicada e gigantesca teia, formando uma bela e estável comunidade.

Pode-se dizer que o que diferencia um bioma do outro, definindo “fronteiras” são as formações vegetais. Cada bioma tem uma vegetação típica e os russos podem se orgulhar de abrigar, em seu gigantesco país, quatro grandes biomas. De Norte a Sul: a tundra, a taiga, a floresta temperada e a estepe.

 

Passeio pelas terras geladas da Rússia

O Norte da Rússia, próximo ao Ártico, se caracteriza pela presença absoluta do gelo e da neve; a Sibéria é muito conhecida por isso. Nos locais mais próximos do pólo não se vê vegetação nenhuma, no entanto, em alguns quilômetros em direção ao sul, uma vegetação rasteira começa a aparecer.

Estamos na Tundra, uma região em que as poucas espécies de plantas crescem sobre um solo permanentemente congelado, o permafrost. As plantas dessa região são pequenas, que retém suas folhagens por anos. São comuns os musgos e líquens (associação entre algas e fungos), além de ervas e pequenos arbustos de caules lenhosos.

Os poucos animais que vivem nesse ambiente durante todo o ano, como os ursos-polares, lobos árticos, bois almiscarados e lebres árticas possuem adaptações para resistir ao frio constante, como camadas espessas de pelo e gordura.

Nos curtos verões, cujos período ensolarado dura 24h, a tundra é um pouco mais agitada, com a visita de animais migratórios.

Figura 1: Tundra russa – vegetação pequena em meio a paisagem gelada.

 

Em meio aos pinheiros

Indo em direção ao Sul, saímos da tundra para chegar a Taiga, também conhecida como Floresta de Coníferas ou Floresta Boreal., que ocupa a maior parte do norte do país. De invernos severos e temperatura média anual abaixo dos 5° C, a taiga é caracterizada pela presença de bosques infindáveis de coníferas, os pinheiros.

Os verões são mais quentes que os da tundra, permitindo que o solo se descongele totalmente. A variedade de espécies de plantas é muito maior, embora todas sejam basicamente aciculadas altas (semelhantes aos pinheiros, com folhas em forma de agulha). São encontradas diversas espécies de pinheiros, abetos, faias, bétulas e o Larício europeu. Também são encontrados musgos, líquens e arbustos.

A fauna é bem mais diversa e poderemos observar guaxinins, alces, renas, veados, ursos, raposas, linces, martas, esquilos, lebres, castores. Além disso, existem várias espécies de aves e o lobo cinzento, inspiração para o mascote da competição, o Zabivaka (tema de um próximo texto aqui do Eureka, AGUARDE!). Em meio aos pinheiros é possível, também, encontrar o majestoso tigre-siberiano.

 

Apreciaram a vista? Vamos voltar o trem para irmos a parte européia da Federação Russa, conhecer um pouco mais das florestas temperadas

Figura 2: Taiga com as tradicionais pinheiros que caracterizam o bioma.

 

Um pedacinho da Europa bem dentro da Rússia

Na porção européia da Rússia temos a formação vegetal da Floresta Temperada, comum em quase toda a Europa. Nesse bioma as árvores perdem suas folhas no inverno, sendo, assim, chamadas de decíduas.

Poderemos encontrar nesta região uma grande variedade de espécies vegetais e animais, garantida pelo clima mais ameno em comparação com a taiga e a tundra. Nos bosques pode-se observar ulmeiro, faia, nogueira, plátano, ácer, choupo, álamo, bétula, freixo, salgueiro, cerejeira, castanheiro, tília, amieiro, carvalho, pinheiro e cedro. Dentre os animais, observamos muitos insetos, esquilos, ratos, veados, javalis, aves, ursos, lobos e vários felinos.

Figura 3: Aspecto da Floresta Temperada Russa.

 

Fim da viagem: as grandes planícies asiáticas

Voltamos agora à Rússia asiática. Nessas imensas planícies vamos observar um ambiente bastante uniforme, as estepes.

É uma região seca e fria onde existem, predominantemente, gramíneas. A ocorrência de árvores é rara e os arbustos podem ocorrer em alguns pontos. São poucas as espécies animais, destacando-se rebanhos de ovelhas e cabras das populações locais. Nessa região também são encontrados camelos, iaques e cavalos. Esse animais foram domesticados nessa região por volta de 3000 a.C.

Figura 4: Estepes russas e suas gramíneas.

Estimados companheiros, nossa viagem pelos ambientes naturais da Rússia chega ao fim. Espero que tenham se maravilhado com tamanha diversidade de ambientes que a natureza criou. Nosso trem agora segue para Moscou, local do 3o jogo da nossa Seleção.

Vista sua camisa verde e amarela e bora esquentar a torcida!

 

REFERÊNCIAS

Coutinho LM. O conceito de bioma. Acta botanica brasilica, v. 20, n. 1, p. 13-23, 2006.

Ricklefs RE. A Economia da Natureza. 6 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010.

Facebook Comments
COMPARTILHAR: