Filmes e séries melhoram o aprendizado?

Assistir filmes e séries é divertido e um hobby para muitas pessoas. Então porque não unir o útil ao agradável? Diversos estudos mostram que é possível usar filmes e séries para auxiliar o processo de aprendizagem. Entretanto, a resposta à pergunta “Podemos usar séries e filmes para melhorar o aprendizado” não é simples. O objetivo desse texto não é demonstrar que eles auxiliam a aprendizagem, pois já se sabe muito sobre o assunto. O objetivo é atentar-se para alguns cuidados que devemos tomar caso desejemos usar essa prática. Será mesmo que filmes e séries melhoram o aprendizado?

 

Por que devemos ter cautela?

Na era da pós-verdade e das notícias falsas (fake-news), precisamos entender a problemática das informações incorretas.

Mas antes, você sabe o que é pós-verdade? O dicionário Oxford define pós-verdade como: fenômeno no qual fatos objetivos são menos importantes do que crenças pessoais para moldar a opinião de uma pessoa.

Estudos mostram que as informações falsas tendem a ser mais credíveis se forem associadas a teoria da conspiração. Além disso, é muito difícil fazer com que uma pessoa corrija a informação incorreta que ela acredita devido ao “efeito de influência-contínua”.

Pior ainda, se essa informação vai ao encontro com a visão de mundo da pessoa, a tentativa de corrigí-la faz com que ela acredite ainda mais na informação incorreta!

Ou seja, se for possível, deve-se evitar a crença em informação incorreta (praticamente impossível nos dias atuais) já que elas são tão difíceis de serem corrigidas.

Pensando nisso, qual a relação disso com filmes?

Bom, primeiramente devemos saber que a memória é extremamente maleável.

Estudos com um fenômeno conhecido como falsas memórias (memória sobre um evento que não aconteceu) mostram que o fato de inserir informações incorretas em uma memória a modifica, fazendo com que muitos acreditem que essa informação estava inserida no contexto real.

Por exemplo, em um estudo sobre contágio social, as pessoas viam fotos com cenários de cômodos de uma casa. Essas pessoas deveriam recordar os itens da foto de forma coletiva (com um aliado do pesquisador que recordava itens errados – alguns fortemente relacionados com o cômodo, por exemplo uma torradeira na cozinha e outros não, sendo que o participante não sabia que a outra pessoa era um aliado do pesquisador).

Em uma recordação posterior realizada individualmente, os participantes recordaram significativamente mais informações falsas que eram consistentes com o cenário (ou seja, que se esperaria encontrar em um determinado cômodo) do que o grupo controle (no qual o aliado não forneceu informações falsas).

Okay, faz sentido em um contexto social, quando as pessoas compartilham memórias sobre um evento. E e quando é com filmes?

 

Filmes também podem influenciar a formação de informações incorretas

Em um estudo muito interessante, pessoas assistiram trechos de filmes com fatos históricos. Além disso, elas leram um texto com informações sobre o fato histórico (ou liam o texto primeiro e depois viram o trecho do filme, ou só leram textos sem ver os trechos de filmes). Contudo, antes de assistir o trecho, os participantes foram separados em um dos grupos a seguir:

  • ou eles eram avisados que haviam informações erradas e era especificado quais que de fato não aconteceram,
  • ou eles recebiam um aviso geral que dizia que haviam informações incorretas no vídeo, mas não quais,
  • ou, ainda, nenhum aviso era fornecido aos participantes.

Uma semana depois eles voltavam para o laboratório e deveriam responder perguntas sobre os fatos históricos e sobre o filme.

Independente do grupo, assistir filmes melhorou a recordação sobre os fatos aprendidos quando comparado com informações que só foram lidas e não associadas com trechos de filmes. Isso mostra um efeito positivo de associar filmes com fatos a serem aprendidos.

Porém, os grupos que não receberam aviso, ou que receberam aviso geral, recordaram mais informações incorretas do filme. E esses grupo tinham um alto grau de confiança de que suas respostas estavam certas. Ou seja, somente o grupo que recebeu aviso específico de qual informação do filme era incorreta, recordou menos informações incorretas. Isso é importante porque quando os participantes sabiam exatamente o que era incorreto, conseguiram manter a informação correta a longo-prazo.

 

Um caso recente

Recentemente, houve uma discussão sobre uma série do Netflix (O mecanismo) que retrata sobre a corrupção no Brasil. É uma ficção misturada com fatos reais e que muitos têm criticado. Além dessa série, há muitos filmes baseados em fatos reais que remetem a algum fato histórico… Refletindo sobre isso, com base na ciência e com o foco de evitar a propagação de informações incorretas, esses estudos nos fazem pensar algo importante: filmes podem auxiliar o aprendizado, mas para evitar a divulgação e propagação de informações incorretas, devemos especificar quais são incorretas antes das pessoas assistiram os filmes ou seriados para evitar a manutenção ou a formação de informações incorretas. Nesse sentido, professores devem estar atentos ao inserirem filmes para otimizar o aprendizado.

 

REFERÊNCIAS

Butler AC, Zaromb FM, Lyle KB, Roediger HL. Using popular films to enhance classroom learning: The good, the bad, and the interesting. Psychological Science. 2009.

Lewandowsky S, Ecker UK, Cook J. Beyond Misinformation: Understanding and Coping with the “Post-Truth” Era. Journal of Applied Research in Memory and Cognition. 2017.

Roediger HL, Meade ML, Bergman ET. Social contagion of memory. Psychonomic bulletin & review. 2001.

 

Facebook Comments
COMPARTILHAR: