Estratégias para aprender com eficiência

Já falamos aqui algumas estratégias para aprender com eficiência e melhorar a aprendizagem como a prática de lembrar, de distribuir, de intercalar os tópicos. Nesse post, vamos resumir todas e acrescentar algumas com base em uma matéria publicada com base nos estudos da Psicologia Cognitiva.

Por que devemos falar sobre isso novamente?

Os trabalhos científicos mostram que, frequentemente, os alunos escolhem estratégias de estudo que não são eficientes a longo-prazo. Esse é o caso de quando se estuda tudo de uma vez na véspera da prova, ou de se reler o conteúdo ao invés de tentar lembrar o que sabe.

Além de escolher estratégias ineficientes, há um outro ponto relevante. Responda a seguinte pergunta: a maneira como você estuda foi porque algum cientista te ensinou como ocorre a aprendizagem, ou devido a sua própria experiência, ou porque algum professor lhe ensinou?

Estudos mostram que até professores desconhecem quais estratégias de estudo trará maiores benefícios a longo-prazo. Por isso é tão importante que a educação seja baseada em evidências científicas e não somente pelo achismo ou experiências individuais.

Figura 2: Praticar o lembrar
Pratique o lembrar

Quando você tenta lembrar o que sabe, seja resolvendo problemas ou fazendo quizzes, você está fortalecendo a memória sobre aquele aprendizado. Além disso, você consegue identificar o que sabe e o que ainda não domina. Assim, pode administrar melhor seu tempo de estudo focando nos conteúdos que ainda precisam ser revistos.

Para quem gosta de praticar lembrar fazendo testes, saiba que vários formatos de teste são bons para fortalecer seu aprendizado, especialmente os que exigem maior esforço. Por exemplo, perguntas de resposta-aberta. O formato de pergunta de múltipla-escolha, envolve reconhecer a resposta correta, mas também é benéfico.

Um ponto importante é que sempre devemos ter feedback para verificar se acertamos ou erramos uma questão, para que o erro possa ser corrigido.

Figura 2: Distribua o estudo
Prática de Distribuir

Ao invés de estudar tudo de uma vez na véspera da prova, os alunos devem estudar um pouco de cada vez, distribuindo as sessões de estudo. Isso fará a aprendizagem durar mais tempo.

Pense em alguma habilidade que tem hoje que, quando você começou, não dominava muito bem (ex. jogar um jogo de videogame, dançar balé, tocar um instrumento). Você reparou que treinava aos poucos (ex. jogava o jogo ou treinava a dança ou tocava o instrumento um pouco a cada dia) até ficar bom?

Com os estudos não é diferente. Não espere em se tornar um craque da noite para o dia! Distribua as sessões de estudo! E lembre-se, nessas sessões, tente utilizar a prática de lembrar como estratégia de estudo! Assim, otimizará ainda mais o seu aprendizado.


Figura 4: Outras estratégias para otimizar a aprendizagem
Técnicas promissoras

De acordo com as pesquisas científicas, as seguintes técnicas são promissoras. Lembre-se que ainda é preciso que mais pesquisas na área possam confirmar a amplitude pela qual elas funcionam:

  1. Prática de misturar: não é somente distribuir as sessões de estudo, mas dentro de cada sessão não estudar apenas um tópico. Misturar os tópicos, por exemplo, estudar um problema de matemática e depois estudar um outro estilo de problema. É o mesmo princípio que explicamos anteriormente, realizar vários exercícios parecidos faz com que tenhamos a sensação que dominamos o conteúdo mais rápido do que quando misturamos os tópicos. Mas essa aquisição rápida é frequentemente seguida de um rápido esquecimento… E você não quer isso, certo?
  2. Interrogação elaborativa e auto-explicação: quando você está lendo um texto, procure se questionar porque aquele fato é verdade, porque funciona dessa maneira, elaborando o que está aprendendo. Também pode tentar explicar para si mesmo como essa nova informação se encaixa com seu conhecimento prévio. Essas estratégias podem melhorar a transferência, ou seja, a capacidade de usar os conteúdos aprendidos em outras situações. Entretanto, é preciso ter algum conhecimento prévio para que essa técnica funcione, caso contrário, não há como elaborar o conteúdo.

E aí? Pronto para incorporar essas técnicas na sua prática e se tornar um melhor aprendiz?

Referências

Bjork RA, Dunlosky J, Kornell N.  Self-Regulated Learning: Beliefs, Techniques, and Illusions. 2013.

Dunlosky J. Strengthening the student toolbox: Study strategies to boost learning. 2013.



Facebook Comments
COMPARTILHAR: