As mudanças climáticas podem ameaçar sua cerveja

O Eureka!Brasil já apresentou em vários textos os problemas relacionados a constante degradação e alteração dos ambientes naturais. Já falamos sobre como esse problema afeta os oceanos  e como causa a desertificação. Falamos ainda sobre a destruição da Amazônia e da alteração da rota natural da evolução. Discutimos como as hidrelétricas podem gerar impactos e como grandes desastres ambientais (como em Mariana, MG), afetam os ecossistemas. Falamos sobre as extinções de espécies. Vimos também como ocorrem as alterações climáticas e como esta gera graves consequências… Ainda apresentamos muitos outros exemplos nos textos da nossa seção que trata sobre o Meio Ambiente. Nesse novo texto, saiba como a sua cerveja do fim de semana pode estar em perigo devido às alterações climáticas.

Ameaças à nossa cervejinha

Se você ainda não se comoveu frente a gravidade do momento em que estamos vivendo, tenho uma péssima notícia. O meio ambiente está fortemente ameaçado e o risco de afetar a vida dos brasileiros é cada vez mais evidente. Além disso, um produto muito consumido não só pelos brasileiros, mas por grande parte das pessoas no mundo está em perigo. A produção de cerveja está ameaçada com as alterações climáticas! Isso mesmo! As secas e o calor podem diminuir a produção de cevada, levando à diminuição da produção e ao aumento do valor médio do produto.

Figura 1. A produção de cevada será impactada pelas mudanças climáticas do planeta.

Em um trabalho publicado recentemente pelo periódico científico Nature Plants, os cientistas se basearam em dados climáticos históricos e em projeções climáticas futuras para avaliar como as alterações do clima do planeta podem afetar a produção de cevada. Essa planta, como vocês sabem, é um dos principais ingredientes da cerveja. Adicionalmente, eles analisaram os resultados através de modelos de equilíbrio econômico global para avaliar como isso irá afetar a disponibilidade do produto, seu consumo e o seu preço final.

Queda na produção de cevada

As estimativas sugerem que poderá ocorrer uma perda que varia de 3 a 17% na produção da cevada. Nas estimativas menos otimistas, a redução média de oferta de cevada chegará a 38% em países como Bélgica, República Tcheca e Alemanha. Além disso, as estimativas sugerem que o consumo per capita poderá ter um declínio acentuado de até 32% para nossos “hermanos” argentinos. Associada a baixa oferta no mercado, o preço do produto poderá aumentar bastante, podendo atingir até 193% de aumento no caso dos nossos colegas irlandeses.

Figura 2. Os preços da cerveja aumentarão se persistirem as alterações climáticas.

Se você, assim como eu, é um grande apreciador das saborosíssimas cervejas belgas, fique ainda mais preocupado. Dentre os países analisados neste trabalho, a Bélgica sofrerá as mais drásticas reduções na produção da cevada. Seu consumo pode reduzir cerca de 38%, sendo que a cevada destinada a produção de cerveja decrescerá 50%. O consumo global de cerveja deverá reduzir 16% e o seu preço deverá dobrar em previsões mais pessimistas. Isso já é um motivo muito convincente para você lutar e pressionar o governo para frear as emissões de carbono, e reduzir as taxas de desmatamento, não é? 

A situação brasileira

A produção brasileira também será diminuída, segundo as estimativas. E provavelmente isso irá afetar muito nosso país. Estima-se que o brasileiro consuma mais de 60 litros desse produto por ano! Dessa forma, teríamos que importar uma quantidade substancial de cevada para manter a produção. Isso levaria a prejuízos na nossa balança comercial. E, considerando a atual cotação do dólar e do euro, imaginem como isso impactaria o preço da nossa cervejinha? Além disso, temos que levar em conta a previsão de aumento da população mundial nas próximas décadas. Isso, inevitavelmente, irá exacerbar ainda mais os efeitos negativos da alteração climática no aumento dos preços e na diminuição da oferta da cevada e, consequentemente, da cerveja.

Por isso, os prejuízos vão afetar a disponibilidade da famosa “gelada”, além de reduzir o acesso das pessoas a esse item. Lembrando que a cevada também é utilizada para alimentar gado e, consequentemente, a atividade pecuarista também será afetada.

Figura 3. Se você queria um bom motivo para defender a natureza, a hora é agora.
Mais um motivo para lutar pelo meio ambiente

Obviamente, as alterações climáticas causam prejuízos mais graves que esse. Como citado no início do texto, há vários problemas mais preocupantes. Inclusive, a produção de alimentos base para muitas dietas está ameaçada, além de outros itens alimentícios como vinho e o café.

Com todos os procedimentos agrícolas existentes, o cultivo de cevada pode ser melhorado. Desde as práticas de cultivo até o surgimento de novas tecnologias para produção e melhoramento genético. Entretanto, é necessário investimento em ciência. Por isso, é tão importante que os governos continuem investindo no desenvolvimento científico e na educação. Ela é a única forma de evitar as tragédias futuras e promover uma vida melhor a todos. Então, vamos nos unir na defesa do meio ambiente e da ciência, e fazer um brinde a um futuro melhor: Saúde!

REFERÊNCIAS

Davis AP, Gole TW, Baena S, Moat J. The impact of climate change on indigenous Arabica coffee (Coffea arabica): predicting future trends and identifying priorities. PLoS ONE. 2012.

Hsiang S. et al. Estimating economic damage from climate change in the United States. Science. 2017.

Krishnan P, Swain DK, Bhaskar BC, Nayak SK, Dash RN. Impact of elevated CO2 and temperature on rice yield and methods of adaptation as evaluated by crop simulation studies. Agriculture, Ecosystems & Environment. 2007.

Van Leeuwen C, Darriet P. The impact of climate change on viticulture and wine quality. Journal of Wine Economics. 2016.

Wheeler T, von Braun J. Climate change impacts on global food security. Science. 2013.

Xie W, Xiong W, Pan J, Ali T, Cui Q, Guan D, Meng J, Mueller ND, Lin E, Davis SJ. Decreases in global beer supply due to extreme drought and heat. Nature Plants. 2018.

Facebook Comments
COMPARTILHAR: